Mulheres do agronegócio fortalecem relações em encontro na Expoingá 2018
12/05/2018 - 8h08 em Notícias de Maringá

Idealizado para apresentar a força, a competência e o papel de protagonista desempenhado pela mulher brasileira no agronegócio, o segundo encontro de mulheres que fazem a diferença dentro deste segmento reuniu na tarde desta sexta-feira, na Expoingá, cerca de 250 participantes de diversas partes do país e da região.

 

Além da presidente da Frente Parlamentar da Agricultura, deputada Tereza Cristina, que fez palestra na abertura no evento, outras seis expoentes do universo feminino no campo agropecuário estiveram presentes, representando os estados do Paraná, São Paulo, Rio Grande do Sul, Goiás e Mato Grosso do Sul.

 

A presidente da Sociedade Rural de Maringá, organizadora do evento, Maria Iraclézia de Araújo, explicou em sua fala sobre a importância do fortalecimento do vínculo entre as mulheres da área “para ampliar nosso conhecimento e, cada vez mais, contribuirmos com o desenvolvimento do setor”. Ela pediu às palestrantes que falassem “com o coração”, pois a experiência de cada uma é que serviria de exemplo para as participantes do evento.

 

De origem também do campo, a deputada Tereza Cristina, disse que apesar de ter feito agronomia em turma com apenas quatro mulheres, sempre transitou com naturalidade por uma área dominada pelos homens no passado. “Depois de formada, fui para a fazenda ajudar meu pai. Aprendi com os funcionários e nós nos ajudávamos. Havia uma troca salutar. Depois fui para o outro lado do balcão, passei a cuidar das compras e vendas da fazenda”, conta a deputada que anos depois atuou na Famasul (Federação de Agricultura de Mato Grosso do Sul), onde “me apaixonei pelo trabalho coletivo”.

 

A deputada, que também respondeu pela secretaria de agricultura do Estado por sete anos e meio, antes de concorrer à Câmara Federal, recomendou ao final que as “mulheres participem da política e sejam ativistas em defesa do agronegócio”, ao acrescentar que “muitas pessoas criticam as ações dos produtores no país por desconhecer o assunto e acreditar que prejudicamos o meio ambiente”.

 

Gestão e valorização

Outras palestrantes, como Ana Nery Terra Souza, diretora estratégica do Grupo Água Tirada (MS), Ana Lúcia Costa Beber, do Grupo Costa Beber (RS), Renata Fergunson, do Grupo Santa Cândida (GO), Amanda Caroline Zito, engenheira agrônoma da Cocamar e Samantha Pineda, advogada conceituada em direito ambiental, também deixaram seus recados às mulheres, destacando que competência, determinação e perspicácia são determinantes na direção dos empreendimentos.

 

Conforme destacou Ana Nery, o grande desafio do produtor rural está na gestão financeira, assim como é importante preparar sucessores. “Nós precisamos nos qualificar e saber que o bom resultado não vem de graça. Ensinar valores aos nossos filhos, manter as raízes e ter histórias sempre para contar” é fundamental para o fortalecimento dos negócios”, assinalou.

 

Samantha Pineda, consultora jurídica em meio ambiente da Frente Parlamentar da Agropecuária do Congresso Nacional, lembrou que sua história foi de superação, “porque havia tudo em minha vida para não dar certo”. Sua fala foi no sentido de incentivar as mulheres para a luta.

 

“Nós somos cobradas pela sociedade de forma diferente, mas é possível. É preciso ter em mente que a mulher é aquilo que falta dentro do segmento do agro. O homem é eficiente, é focado, mas a mulher é abnegada, conciliadora.

 

Pensamos com o coração e nos entregamos pela causa. Então temos de participar, estar na linha de frente e participar até mesmo na política, de sindicatos, associações e outras entidades que trabalham pelo fortalecimento da área. Precisamos valorizar o potencial da mulher”, finalizou.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!